sexta-feira, junho 30, 2017

A Rota do Sol e das Emoções que você precisa conhecer

Malas prontas e um com toda adrenalina para desfrutar uma boa viagem partimos de João Pessoa pela Rota do Sol e das Emoções nos Estados do Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e Maranhão. 
BAIA FORMOSA- A Mata Atlântica existente ainda nas grandes falésias.
 Para quem vem do sul, a Baia Formosa é a primeira cidade do litoral potiguar e assim que chegamos fizemos uma parada no Mirante para ver essa formosura do alto da falésia. Praias belas e desertas, lagoas de água doce e a reserva particular Mata Estrela é o maior espaço do RN com remanescência de Mata Atlântica - único existente sobre dunas. A cidade distante 97 km de Natal, tem como principais fontes de renda o turismo, a pesca e a usina açucareira. 
.





 Percorremos de buggy, 18 km com duração de 3 horas ao custo de R$85,00 por pessoa as belezas da convidativa região, ciceronizado pelo excelente guia local “Dedeca” grande conhecedor de todas as atrações daquela pacata e acolhedora cidade de quase 9 mil habitantes. Primeira parada foi no Cemitério dos Golfinhos ou Santuário Ecológico das tartarugas marinhas com suas réplicas, esqueletos e painéis onde o Projeto Tamar monitora e registra todos os ninhos de tartarugas nos 33 km de praias no Estado Potiguar. O trabalho é voluntário e a entrada é gratuita. No local há belas camisetas a venda para manter o projeto. 






Trilhando bem, nosso guia vai deixando para trás o imponente Farol Bacopari encravado há quase 100 anos atrás no Cabo de mesmo nome e com certeza identificado pelos velejadores na linha do horizonte por seus 30 m de altura em relação ao nível médio do mar.



  Um dos lugares mais famosos é a Lagoa da Araraquara ou Coca-Cola por causa de suas águas escuras e avermelhadas, mas o ponto máximo do passeio é parada no Bar e Restaurante Nativos, um ambiente familiar e sossegado  com mesinhas a beira mar, um atendimento nota dez da proprietária Isabel que preparou um delicioso suco de acerola acompanhado do pastel de arraia. Pudemos também degustar de alguns dos 25 tipos de cachaça expostas no estabelecimento. 










O marco da região é o Rio Guaju na Praia de Sagi,  que separa os Estados da Paraíba e o Rio Grande do Norte. Uma ótima opção para relaxar e divertir na tiroleza. 
 Vista da  singela vila de pescadores com 800 habitantes com sua mata nativa vistos por todos os ângulos do alto do mirante. 








De volta ao ponto de partida no Hotel Chalemar onde os atores da novela Flor do Caribe ficaram hospedados, seguimos para a Barra do Cunhaú na Foz do Rio Curimataú, conhecido como Simbaúma ou Catú, quando suas águas se entrelaçam com as do Oceano Atlântico. O rio conhecido por suas deliciosas curimatãs (peixe prateado e achatado), banha cerca de 30 hectares de produção de camarão. 



 Travessia de balsa para Barra de Cunhaú ao preço de R$15,00 reais.







Transformadas em verdadeiros cartões postais, as praias e Timbau do Sul e Pipa são exemplos de endereços concorridos para quem segue na direção do litoral norte. 
Timbau do Sul- RN ainda na Costa Potiguar.
Que tal acordar todos os dias com essa linda paisagem? Isso sim é vida!







Um tour no litoral de Pipa-RN







No segundo dia deixamos o Hotel Marinas Resort em Timbau do Sul com destino as águas termais de Mossoró. Hotel Thermas Resort  





Antes de seguirmos viagem para a verdadeira Rota das Emoções fomos influenciados pela matéria do Jornal Folha de São Paulo que definiu um vilarejo chamado Ponta do Mel como sendo um lugar perdido no tempo, rodeado por falésias coloridas, com dunas claras e rosadas. Único lugar do sertão que se encontra com o mar no Rio Grande do Norte.  





Depois de deixamos o vilarejo perdido no tempo seguimos para Canoa Quebrada no Ceará sede do Município de Aracati e distante 163 km de Fortaleza. 
As famosas Falésias de Canoa Quebrada e Morro Branco com cantas cores, até um camaleão ficaria com inveja.




 Labirintos naturais compõem as falésias coloridas do Morro Branco, que são matéria prima das tradicionais garrafinhas com as paisagens desenhadas com areia, técnica chamada de Ciclogravura ou sericografia.





 Quando o sol bate na barreira alaranjada, reproduz a cor natural desta praia com o contraste com o azul intenso do céu.



Aldeia de pescadores que marcou os anos 70 como um paraíso hippie, as jangadas se lançam ao mar e não há em minha terra natal paredão mais colorido que o majestoso penhasco avermelhado e tatuado com a lua e a estrela. Símbolo que representa a verdadeira amizade também para os asiáticos. 









O passeio de buggy em Canoa Quebrada custa R$100 reais por pessoa e nele esta incluso os esportes mais radicias nas dunas que formam um imenso tapete, circundado por águas azuis no paraíso das Cangalhas. O meu preferido foi o “Insano” que custa R$ 18,00 reais.






JERICOACOARA- CEARÁ



No quarto dia, com um português, que ironia do destino, seguimos para a Jericoacoara ou “moradia das tartarugas” segundo cartas náuticas do século 16 foi ocupada pelos portugas com interesses em pedras preciosas e a extração de sal. 
Ambientes costeiros como Jericoacoara que abrigam lagunas, estuários e baías cujas características ecológicas e o uso intensivo que deles se faz, são potencialidades para o crescimento de atividades turística, pesqueiras, portuárias e recreativas. Mas de outra banda as pessoas seduzidas pelas imagens e falsas aparências expressas por meio da mídia do turismo, começaram a abandonar suas atividades pesqueiras e agrícolas, venderam suas casa à beira-mar, construíram suas moradias em locais mais distantes, cedendo seu espaço tradicional e histórico aos “de fora”, não reconhecendo o direito aos “nativos” de lucrar com o boom turístico.







 O que é mais significativo e realmente simbólico? Uma pequena igreja erigida pelos locais ou uma Pedra Furada? 



Até o jornal norte-americano “The Washington Post” classificou Jericoacoara como uma das dez mais belas praias do planeta. Será que os novos ventos depois de duas década não tornou a tribo indígena dos jericoacoarenses numa planície alagada pelos forasteiros desavisados? Um monumento natural turístico que foi implantado por um estrangeiro dono de um hotel e que precisa totalmente dos serviços nativos de transporte, alimentação e hospedagem. 







Durante nossa grande aventura pela faixa litorânea do ceará, pudemos observar entre tantas belezas naturais com suas significativas riquezas, o risco do intenso processo de ocupação desordenada nos espaços litorâneos (falésias ou Barreiras) e nos manguezais que cumprem funções essenciais na reprodução biótica marinha e no equilíbrio das interações da terra com o mar, trazem elevado custo econômico e social ao tentar restabelecê-las, pois o manguezal e marisma reduzem a energia das ondas, protege a costa, recicla nitrogênio e melhora a qualidade da água. 

PARNAÍBA
A cidade de Parnaíba, no Piauí, é a porta do terceiro maior delta do mundo e único das Américas que deságua no oceano. O Delta do Parnaíba, um dos lugares mais belos e incomuns do planeta é um arquipélago com dunas, mangues, praias e piscinas naturais que abre-se em cinco braços, envolvendo 73 ilhas fluviais, com paisagem exuberante. É o cenário paradisíaco entre o Piauí e Maranhão.


 Porto das Barcas - Recepciona os turistas num cenário intimista e acolhedor.

 O trajeto entre as cidades do Ceará e Piauí pode ser percorrido por 4x4, buggys ou carro de passeio pelas rodoviais, praias, dunas e balsas. Pelo rio partindo no Porto das Barcas, onde funcionou no início do século XX, o centro de exportação da carne de charque, o melhor transporte é a lancha rápida que comporta até 14 pessoas conhecida como "voadeira" percorrendo igarapés e manguezais, para observação dos macacos prego e bugios. Na Ilha das Canárias, segunda maior ilha do delta e na Baia do Feijão Bravo, com suas belas formações de dunas há vistas panorâmicas de todo o ecossistema. 


















O roteiro é ainda mais marcante com a descoberta de aromas e sabores inesquecíveis como a torta de caranguejo, espetinhos de lagosta, camarões, castanhas, umbu e cajá. O passeio inclui visitas às cooperativas e associações comunitárias de artesões, com seus trançados em palha de carnaúba, agave, cipó de leite, taboa, esculturas de namoradeiras em barro, cachorrinhos magros feitos em madeira de umburana e os que confeccionam os famosos desenhos em garrafinhas com areia colorida retiradas das falésias das praias do Ceará.






Nossa viagem reuniu no mesmo passeio o Parque Nacional de Jericoacoara na Costa do sol Poente (CE), a Área de Proteção Ambiental do Delta do Parnaíba(PI) e o Parque Nacional dos Lenções Maranhenses com paisagens paradisíacas em cinco dias de aventura intensa.

Realidade X Paraíso

Muitas vezes sou uma turista, outra vezes uma viajante em busca de pequenas experiências culturais. Em mais de dez anos de viagem descreven...